Igrejas evangélicas suíças assinam parceria histórica com capelania do exército
16/11/2020 15:30 em Igreja

As igrejas evangélicas livres da Suíça estão agora autorizadas a enviar pessoal qualificado para servir na capelania do exército, depois que a Aliança Evangélica Suíça (SEA-RES) e a organização língua alemã Freikirchen.ch assinaram uma parceria com o exército suíço em 2 de novembro.Freikirchen.ch é uma associação nacional de igrejas com 20 movimentos religiosos livres da Suiça de língua alemã, que incluem mais de 750 igrejas locais. A Associação de Igrejas Livres da Suíça descreve o acordo como “histórico”.

O anúncio segue uma reunião entre o chefe do exército, comandante do corpo de exército Thomas Süssli, e os representantes evangélicos, juntamente com representantes da Igreja Católica Romana na Suíça e da Igreja Evangélica Reformada da Suíça (EERS). Foi a conclusão de um ano e meio de conversas intensas.

“O Exército Suíço já deu o primeiro passo com sua capelania militar para todos. Este encontro é um sinal de respeito e gratidão. Nunca houve tal encontro na história da Suíça”, disse Stefan Junger, chefe da capelania do exército.

Formação religiosa

Segundo Junger, “a abertura da pastoral do Exército a outras comunidades religiosas é feita de forma consciente. Queremos fazer justiça à formação religiosa do pessoal do exército. É neste contexto que nasceram essas parcerias”.

Peter Schneeberger, presidente da Freikirchen.ch, destacou que “estão muito satisfeitos com esta parceria com a capelania do exército suíço. É um serviço importante para nós em benefício da sociedade”.

“A confiança mútua e a necessidade de jovens profissionais tornam isso possível. Vamos exercer o nosso serviço com responsabilidade”, sublinhou Jean-Luc Ziehli, presidente da RES.

7 capelães evangélicos

A pastoral da capelania do Exército tem uma população-alvo de 170 membros. A cada dois anos, são necessárias 30 a 40 novas pessoas. No dia da assinatura do acordo, entraram 36 novos capelães, todos recrutados pelo próprio exército, sete deles de igrejas evangélicas.

Os novos capelães do exército são obrigados a apresentar uma referência e concluir um curso introdutório de sete semanas e um curso de treinamento técnico de três semanas. “Com a sua assinatura, você honra um compromisso que acompanha uma obrigação dentro da capelania do exército em benefício de todos os militares”, disse Junger aos capelães da notícia.

Fonte: Guiame

COMENTÁRIOS