Estados Unidos podem deixar de ser maioria cristã em 2070, segundo projeções
14/09/2022 15:17 em Novidades

Os Estados Unidos são o país com o maior número de cristãos do mundo hoje, seguido pelo Brasil. No entanto, se as tendências continuarem, o cenário pode ser bem diferente daqui 50 anos, segundo um novo relatório do Pew Research Center.

As projeções indicam que em 2070, os cristãos nos EUA poderão representar 46% da população. Enquanto isso, em meio à crescente secularização, os chamados “não religiosos” podem representar quase metade (41%) dos americanos. Já a porcentagem de americanos que se identificam com outras religiões pode dobrar.

Os pesquisadores do Pew Research Center usaram diversos fatores para chegar a esta projeção, como as taxas de natalidade, padrões de migração e o cenário religioso atual.

Atualmente, 31% dos cristãos deixam sua fé ou sua igreja antes de completar 30 anos, enquanto 21% dos não religiosos se convertem ao cristianismo na fase jovem adulta. Se essa tendência permanecer, os cristãos poderão ser 46% da população em 2070, enquanto os não religiosos seriam 41%. 

Se o número de pessoas deixando a igreja ou a fé cristã crescer até os 50%, a projeção é que o número de cristãos nos EUA diminua para 39% até 2070, e de não religiosos suba para 48%.

 Por outro lado, se o número de pessoas deixando a fé não aumentar, os cristãos podem continuar sendo uma pequena maioria (54%) e os não religiosos seriam 34% dos americanos.

Os pesquisadores enfatizam que o relatório é baseado em dados matemáticos, não em previsões do futuro.

“Embora alguns cenários sejam mais plausíveis do que outros, o futuro é incerto e é possível que a composição religiosa dos Estados Unidos em 2070 fique fora dos limites projetados”, esclarecem.

Destacam também que, embora sejam não religiosos, a maioria deste grupo não se declara ateu.

Razões para o declínio do cristianismo

Uma razão para o declínio de cristãos e o aumento não religiosos é a idade. Os cristãos costumam ter mais filhos, mas também são mais velhos. O estudo estima que o cristão médio nos EUA tem 43 anos, 10 anos mais velho do que a média do não religioso.

“Os não religiosos estão criando filhos não religiosos, enquanto os cristãos têm mais probabilidade de estar perto do fim de suas vidas do que outros”, disse Stephanie Kramer, pesquisadora sênior do Pew, ao site RNS.

Os pesquisadores também analisaram a transmissão da fé de pais para filhos e o aumento de pessoas mais velhas que estão deixando sua religião.

Segundo Kramer, os EUA estão passando pela secularização que aconteceu em outros países, como por exemplo a Europa. “Podemos estar um pouco atrasados”, ela afirma.

Por outro lado, um fator que pode influenciar positivamente o número de cristãos é a questão da imigração, já que a maioria dos imigrantes que chegam aos EUA são cristãos, disse Conrad Hackett, diretor associado de pesquisa e demógrafo sênior do Pew Research Center.

“Acreditamos que as maiores transformações nos EUA, atualmente e no futuro, virão da mudança [de cidade ou país]”, disse ele.

Fonte: Guiame com informações de Religion News Service

COMENTÁRIOS