“De braços abertos”: Igrejas nos EUA se preparam para receber refugiados afegãos
27/08/2021 16:45 em Igreja

Igrejas de todo os Estados Unidos estão se preparando para receber os refugiados afegãos que fogem do Talibã, por meio da operação de resgate pelas forças americanas no Afeganistão.

A Cooperative Baptist Fellowship (CBF) está organizando o acolhimento dos refugiados com uma rede de parceiros e congregações locais, que se uniram para ajudar o povo afegão. 

“Esperamos um grande influxo em todos os Estados Unidos, e outros funcionários de campo e igrejas estão se preparando para receber essas famílias”, disse Rick Sample durante o workshop “Welcoming the neighbor” da CBF, na quinta-feira (26). 

Sample, que é funcionário de campo da organização que atende imigrantes, refugiados e outros estrangeiros na região de São Francisco, afirmou que organizações cristãs e igrejas devem estar preparadas para acolher os refugiados.

“Tenho estado em contato com líderes afegãos locais que estão trabalhando duro para fazer arranjos. É difícil saber quando e onde os refugiados chegarão”, explicou.

Durante o workshop de preparação, a palestrante Nell Green disse que é provável que os refugiados sejam reassentados em cidades americanas que já abrigam comunidades afegãs. 

Segundo a Cooperative Baptist Fellowship, os serviços necessários para os afegãos incluem entrega de alimentos e água, acompanhá-los a consultas, doação de móveis e outras necessidades. 

“Qualquer coisa que você possa fazer para mostrar as boas-vindas envia uma mensagem forte. Eles podem não vir, mas estabeleça as bases para recebê-los de braços abertos”, disse a palestrante Sue Smith, da equipe de campo para imigrantes latinos em Fredericksburg, na Virgínia. 

Smith enfatizou que para receber um imigrante não se pode ter pressupostos negativos em relação a eles, achando que eles são mais pobres e que não possuem educação, já que muitos eram proprietários de pequenas empresas, professores, e profissionais em seu país de origem. 

“Precisamos ver (os imigrantes) como iguais e como crianças no Reino de Deus, assim como nós somos. Procuramos ser acolhedores de forma a reconhecer quem eles são e que são pessoas com dignidade e valor”, afirmou a palestrante.

Sue Smith exortou as igrejas a não rebaixar os imigrantes ou assumir uma mentalidade de caridade, dando-lhes roupas, móveis e outros itens de qualidade inferior. “Se você não quer, não dê. Dê-lhes coisas de boa qualidade. Não presuma que os recém-chegados que não falam inglês não têm nada a oferecer”, afirmou.

Fonte: Guiame

COMENTÁRIOS